O BANQUINHO

Ali bem no cantinho,
habita um banquinho,
o banquinho que acolhe
o corpo exausto,

O banquinho que é palco
dos discursos inflados
hora cheios hora vazios,
o banquinho da greve!

O banquinho da primeira foto,
do primeiro beijo quiçá.
o banquinho da intimidade,

o banquinho que permanece
cheio de glória, assento de anseios
e histórias que vão e ficam.

(Anderson Delano Ribeiro)

 

#AlegoriasDeUmaVida

 

Anderson Delano

Anderson Delano

Aprendiz de psicólogo pela UFF, poeta, músico, apaixonado por arte, design, nerdices e pela Psiquê.

MAIS SOBRE O AUTOR
TODOS OS POSTS